Com forte crescimento econômico, Paraguai é destino de muitas empresas brasileiras

2019-07-01
Com forte crescimento econômico, Paraguai é destino de muitas empresas brasileiras

No geral, a imagem que se tem do Paraguai é a Ponte da Amizade e as compras em Ciudad del Leste. Mas, na verdade, o país é muito mais do que isso, tanto que cada vez mais brasileiros estão escolhendo o Paraguai como destino para trabalhar e construir uma carreira internacional.

O país tem experimentado uma das maiores expansões econômicas da América Latina. Segundo dados do Fundo Monetário Internacional (FMI), o país cresceu 4,4% no ano de 2018, patamar acima da média regional e que deverá ser mantido em 2019.

Esse crescimento tem chamado a atenção de analistas e inclusive foi tema de uma reportagem da Forbes, umas das mais conceituadas revistas no mundo dos negócios. O texto destaca que o país deixou para trás a dependência da exportação de commodities, principalmente carne e soja, e diversificou sua base econômica.

Setores como construção civil e indústria hoje representam 20% do PIB paraguaio, mas até 2012 não significavam mais do que 6% em um país que dependia quase que exclusivamente da agropecuária.

Isso é reflexo da atual onda de investimentos estrangeiros no Paraguai, não só de países vizinhos como de outros da Europa, Ásia e Oceania. Mas o Brasil é o campeão nesse quesito. Para se ter uma ideia, nos últimos cinco anos, os brasileiros abriram 7 de cada 10 novas indústrias no país. Segundo dados da embaixada brasileira na capital paraguaia, Assunção, o total de empresas que pediram instruções de como se mudar para lá cresceu 64% em 2017. Foram 445 consultas, contra 272 em 2016.

Uma das explicações para isso está relacionada com a Lei da Maquila, criada em 1997 e retomada em 2013. A legislação garante às empresas que abrirem fábricas no Paraguai e exportarem toda a sua produção o pagamento de apenas 1% de tributo. Nenhuma outra nação latino-americana oferece algo parecido. E 69% das empresas que se encaixam nessa lei são brasileiras!

As chamadas empresas “maquiladoras” são, na maioria, confecções e fábricas de materiais plásticos e brinquedos. A brasileira Estrela, por exemplo, transferiu em 2017 suas fábricas da China para o Paraguai, o que provocou um aumento de 25% nas ações da empresa.

Em 2017, a Guararapes, dona da rede Riachuelo, criou uma sociedade com o Grupo Texcin, do Paraguai, para montar uma fábrica de confecções no país. Como o Paraguai ainda carece de mão de obra especializada, muitos brasileiros se mudaram para o país para trabalhar em empresas como essas.

O Paraguai oferece outras vantagens para empresas que desejam ir para lá. Uma legislação moderna estabeleceu o Sistema Unificado para Abertura e Fechamento de Empresas (Suace), que permite ao empreendedor fazer todos os registros da companhia em único lugar e em menos de um mês.

O sistema tributário também é bastante simplificado. Nas cargas trabalhista e previdenciária, a empresa paga ao governo 16,5% e o empregado, 9%.

Por tudo isso, o Brasil já é o segundo país com maior estoque de Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) no Paraguai, tendo alcançado US$ 970 milhões em 2018.

Também somos o principal parceiro comercial do país. Em 2018, vieram para cá mais de 30% do total das exportações paraguaias (considerada a energia de Itaipu não consumida pelo Paraguai e comprada pelo Brasil).

Entre 2002 e 2018, o fluxo de comércio bilateral elevou-se de US$ 942 milhões para US$ 4 bilhões, o que corresponde a um aumento de mais de 300%. No mesmo período, as exportações brasileiras para o Paraguai cresceram de US$ 559 milhões, em 2002, para US$ 2,9 bilhões, em 2018.

Cultura

O Paraguai é um país pequeno, sem saída para o mar, mas com muita história para contar. Assunção é considerada a “mãe das cidades” por ter sido o ponto de partida para expedições rumo à conquista da região da Bacia do Prata, há quase cinco séculos.

Com o crescimento econômico do país, muitos dos pequenos edifícios da capital estão ganhando imponentes vizinhos. As novas construções são consideradas o símbolo da modernização do Paraguai ou dos novos investimentos que o país vem recebendo. Um deles é o Paseo La Galeria, um complexo comercial, corporativo e hoteleiro avaliado em US$ 300 milhões.

Apesar disso, a cultura se mantém preservada, como o artesanato local ou o carnaval na cidade de Encarnaceno, que reúne foliões de vários pontos.

Na culinária, o prato mais tradicional do país é a sopa paraguaya, um bolo preparado com milho, fubá, manteiga, cebola e queijo. Sim, a sopa é um bolo!

Se você já está pensando em visitar ou, quem sabe, morar no Paraguai, aproveite para conhecer a região de Chaco, com sua riqueza natural e biodiversidade. As praias de água doce do lago Ypacaraí também valem a visita!

E lembre-se: falar espanhol fluentemente ajuda a entender a cultura local e a conseguir uma boa colocação no mercado de trabalho latino-americano. O Paraguai, em relação ao idioma, ainda conta com uma particularidade. Há duas línguas oficiais: o espanhol e o guarani – o idioma nativo de lá preservado e falado pelas pessoas na rua. As crianças aprendem o guarani na escola, juntamente com o espanhol.

Nossa dica é que você aprenda o espanhol ainda no Brasil. E, se precisar do guarani, aproveite para aprender nas conversas do dia a dia ou no trabalho. Assim, sua estada será muito mais completa!

Se você planeja viajar ou trabalhar em outro país, conte com a Espanhol Fluente para auxiliá-lo. Temos muito experiência no que se refere à capacitação de profissionais no idioma e, inclusive, nos aspectos culturais, sempre de acordo com o país em questão.

 
 Compartir noticia