Gastronomia também é cultura: curiosidades sobre a comida espanhola

2019-07-26
Gastronomia também é cultura: curiosidades sobre a comida espanhola

 

Nesta semana, seguimos com a nossa “viagem” pela Espanha, afinal, com a estreia da terceira temporada de La Casa de Papel, o país está no centro das atenções. E vale ressaltar que a Espanha não é lembrada apenas na hora do entretenimento. Como vimos em nosso artigo Retomada do crescimento na Espanha atrai investidores estrangeiros, o país tem sido o destino de muitas empresas e profissionais que buscam boas oportunidades de negócios.

Mas, seja para se divertir ou para trabalhar, quem vai para a Espanha, sem dúvida, desfruta de sua tradicional e reconhecida gastronomia. Os pratos típicos espanhóis são um retrato desse povo.

Há quem diga, inclusive, que a identidade de uma nação é composta por dois elementos chaves: a língua e a cultura alimentar. Quem acompanha nosso blog sabe o quanto falamos sobre a relação entre idioma e cultura, e como isso influencia até mesmo nas relações comerciais. Hoje, vamos tratar dessa outra expressão cultural, a comida.

Não é à toa que a Unesco já declarou pratos típicos de diversas localidades como patrimônio imaterial de um povo. Isso porque os ingredientes utilizados, o modo de preparo e até a posição social de quem consumia cada prato ao longo do tempo contam a história de um país.

Um verdadeiro símbolo da Espanha é a paella. Mas você conhece a sua origem? Seu nome deriva da palavra “patella”, que significa frigideira em latim.

Segundo os especialistas, este prato surgiu nas áreas rurais de Valência, entre os séculos XV e XVI. Naquele tempo, agricultores e pastores precisavam preparar refeições de maneira fácil e rápida, com os ingredientes e utensílios que tinham à mão.

Assim, começaram a juntar aves, legumes frescos, arroz, açafrão e azeite, que eram misturados com água na paella (que já era como se falava frigideira no dialeto local, o valenciano). Tudo cozido em fogo baixo.

Com o tempo, outros ingredientes passaram a ser utilizados. Os frutos do mar sofisticaram o prato, mas ele segue contando a história da Espanha e de seu povo. E uma dica: se você for à Espanha e pedir uma paella VALENCIANA, saiba que ela virá com legumes e frango. Essa receita ainda segue a tradição.

Para além da comida

A cultura alimentar espanhola se expressa não apenas nos pratos típicos, mas também no contexto em que as refeições acontecem. Para quem vai a trabalho para a Espanha é muito importante saber, por exemplo, que o almoço começa às 14h.

Pode parecer tarde para um brasileiro, mas por lá o horário de trabalho costuma ser das 10h às 20h, com duas horas de almoço.

Nas cidades de pequeno e médio porte, entre 14h e 16h, a siesta – aquele cochilo depois do almoço – ainda é uma tradição. Já nas cidades maiores, o espanhol aproveita o horário de almoço para relaxar e comer sem pressa. É comum, inclusive, tomar uma taça de vinho.

Outra tradição são os bares. Na Europa, a Espanha é o país com a maior concentração desse tipo de estabelecimento. Tanto que, depois do trabalho, o espanhol não costuma ir para casa jantar. Ele vai para os bares, que, normalmente, não têm mesas. Todos ficam no balcão comendo tapas e conversando com amigos. Depois, vão para o bar ao lado, onde encontram outros amigos. Por isso, não precisam de mesas para se sentar.

E por falar em tapas, você já deve saber que são os tradicionais aperitivos espanhóis. Mas você conhece a origem da palavra? Vem do verbo tapar. Essas porções vinham em pequenos pratos que, colocados sobre a taça de vinho, ajudavam a manter o sabor e o aroma.

Enfim, gastronomia é cultura, assim como o idioma. Sendo assim, se você planeja viajar ou trabalhar em outro país, conte com a Espanhol Fluente para auxiliá-lo. Temos muita experiência no que se refere à capacitação de profissionais no idioma e, inclusive, nos aspectos culturais, sempre de acordo com o país em questão.

 
 Compartir noticia