Retomada do crescimento na Espanha atrai investidores estrangeiros

2019-07-11
Retomada do crescimento na Espanha atrai investidores estrangeiros

 

A Espanha tem demonstrado que está saindo da crise. Até algum tempo atrás, tudo indicava uma desaceleração para esse ano, mas o crescimento da economia espanhola recuperou seu ritmo e chegou a 0,7% no primeiro trimestre de 2019, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Embora represente um avanço ainda tímido, a evolução da economia espanhola segue à frente da média da zona euro, que registrou crescimento de 0,4% do PIB no mesmo período.

Hoje, a Espanha é a 14ª economia mundial em termos de tamanho do PIB, 13º país mais atrativo para o investimento estrangeiro direto (IED) e 11º exportador de serviços comerciais.

Além disso, sua população jovem altamente qualificada contribui para que o país permaneça como um centro internacional de inovação. Isso também faz com que a Espanha viva um renovado dinamismo empresarial, com criação de novas empresas que mantêm o país na vanguarda. Inclusive, os 123 centros e institutos de pesquisa do Conselho Superior de Pesquisa Científica da Espanha apoiam esse ecossistema inovador.

Nesse cenário, a Espanha voltou a ser um mercado atrativo para o Brasil. Em 2018, as exportações brasileiras para o país foram de US$ 5,14 bilhões, maior valor nos últimos dez anos. A Espanha, aliás, está entre os dez países para os quais o Brasil mais exporta, principalmente óleo bruto de petróleo, soja e milho.

Por outro lado, o Brasil é o segundo destino dos investimentos espanhóis no mundo, com investimentos acumulados de mais de US$ 60 bilhões, atrás apenas do Reino Unido. Na verdade, a crise na Espanha fez com que aumentassem os investimentos por aqui. A Telefonica (telecomunicações), Iberdrola (energia), Gas Natural Fenosa (gás), Repsol (combustível) e OHL (infraestrutura), por exemplo, investiram bilhões no Brasil nos últimos cinco anos.

A cooperação entre Brasil e Espanha ainda acontece no âmbito educacional, em inúmeros convênios bilaterais diretos entre universidades brasileiras e espanholas, principalmente por intermédio do Programa Erasmus Mundus, tendo engenharias e humanidades como áreas mais procuradas.

Vale destacar também o potencial da Espanha em relação ao turismo. Para se ter uma ideia, 82,6 milhões de turistas visitaram o país em 2018, o que representa um aumento de 0,9% em relação ao ano anterior e um novo recorde histórico. Isso deixa a Espanha no segundo lugar entre os países do mundo mais visitados pelos turistas, só perdendo para a França.

Viver e trabalhar na Espanha

A capital da Espanha, Madri, ainda é a cidade que mais recebe brasileiros que vão ao país a trabalho. Isso porque conta com a maior concentração empresarial da Espanha. Das 2 mil maiores empresas espanholas, 72% são madrilenhas.

Além disso, a cidade é acolhedora e aberta a todas as culturas, já que abriga mais de 3 milhões de pessoas de 181 diferentes nacionalidades. Mais de 12% da população de Madri nasceu em outros países.

E todas essas culturas se misturam pelas ruas dessa cidade que parece não dormir. Um hábito muito comum em Madri, por exemplo, é sair do trabalho por volta das 20h (normalmente as pessoas entram às 10h e têm duas horas de almoço) e encontrar os amigos nos bares do entorno. Assim, jantar em casa acaba sendo algo raro.

Mas a Espanha é muito mais do que Madri. As culturas das diferentes regiões são tão fortes que o país tem quatro idiomas oficiais: espanhol, catalão, galego e euskera (língua oficial do País Basco). No ambiente profissional, o espanhol é admitido (e exigido) em todas as regiões, mas o estrangeiro também pode aprender a falar o idioma local no dia a dia, nas ruas ou no trabalho, o que facilitará ainda mais sua integração.

Essas diferentes línguas refletem a diversidade e riqueza cultural do país. De Miguel de Cervantes, passando por Antoni Gaudí, Pablo Picasso e chegando a Pedro Almodóvar, a Espanha tem encantado o mundo com sua arte, costumes e tradições.

Suas festas mais conhecidas são Las Farras (competição de esculturas gigantes em Valência), La Tomatina (uma batalha de tomates em Buñol), San Fermin (corrida em que os touros ficam soltos pelas ruas estreitas da cidade) e El Día de Reyes (desfile que acontece pelas ruas para celebrar o dia de reis).

A gastronomia espanhola é um caso à parte. Entre os principais pratos estão a paella (feita sempre com arroz e pode ter frutos do mar ou frango, dependendo da região), gazpacho (uma sopa fria à base de hortaliças, tomate, pepino e pimentão) e a tortilha de batatas (muito parecida com a nossa omelete).

Se você já está pensando em arrumar as malas e ir para a Espanha, saiba que para trabalhar no país é necessário um visto, dispensado apenas para brasileiros que tenham cidadania espanhola ou de algum outro país da União Europeia. Ao chegar na Espanha, ainda é necessário se inscrever na Seguridade Social e obter o número de identidade de estrangeiro (N.I.E.).

E lembre-se: falar espanhol fluentemente ajuda a entender a cultura local e a conseguir uma boa colocação no mercado espanhol. Por isso, se você planeja viajar ou trabalhar em outro país, conte com a Espanhol Fluente para auxiliá-lo. Temos muito experiência no que se refere à capacitação de profissionais no idioma e, inclusive, nos aspectos culturais, sempre de acordo com o país em questão.

 
 Compartir noticia